O Coaching é Campeão Europeu

… e garanto-vos, é muito merecedor deste título.

O homem do golo dedicou-o à sua coach e muita gente ouviu falar de coaching agora pela primeira vez. Muitos já tinham ouvido mas têm uma ideia errada sobre o que é. Há quem associe o coaching à formação, mas o coaching não é formação, um coach não dá formação nem nada que se pareça com isso. Há também quem associe o coaching às vendas e ache que é uma ferramenta que os “malvados” dos vendedores usam para convencerem as pessoas a comprar o que não querem. Há quem pense num coach como alguém frenético que grita entusiasticamente frases de incentivo a grupos de vendedores no sentido de os motivar e de lhes dar energia para venderem mais e melhor. De facto esta figura existe mesmo em imobiliárias e na industria farmaceutica por exemplo, mas mesmo que lhes chamem coach, isto não é coaching. Não é mesmo. O coaching também não é terapia apesar de já o ter visto associado à psicologia.

Eu sou coach, formada pelo ISPC-International School of Professional Coaching e por isso vou deixar aqui alguma informação sobre o assunto.

Na base do coaching está, antes de mais, a crença no potencial que todos os seres humanos têm. Cada um de nós tem um potencial ilimitado e pode e consegue realizar tudo aquilo a que se propuser.

Certamente alguns de vocês não acreditam nisto. Provavelmente cresceram a ouvir os adultos a dizerem coisas como, “a vida é difícil” ou “…isso é impossível, o melhor é desistires dessa ideia e pores os pés no chão” ou “… isso é bom demais para ser verdade…” ou ainda “… isso é demais para ti…”

Quem vos disse este tipo de coisas tinha a melhor das intenções, mas estava errado. Certamente pensava estar a fazer o melhor para vos preparar para as dificuldades que viriam a enfrentar nas vossas vidas.

Se há 50 ou 60 anos atrás alguém se lembrasse de falar em algo que fosse minimamente parecido com os telemóveis que temos hoje, o que é que o mundo inteiro estaria  prontinho para responder? – “Isso é loucura, é impossível, esquece isso, põe mas é os pés no chão, isso seria bom demais para ser verdade”.

Mas qual é a verdade? A verdade é que houve alguém que um dia acreditou que era possível e por isso hoje aqui estão eles. A evolução da tecnologia é um exemplo claríssimo de que uma ideia que hoje parece estapafúrdia para muita gente, pode tornar-se em algo real. Também graças a essa tecnologia, o golo que o Éder marcou e que fez de Portugal o Campeão da Europa correu o mundo inteiro numa fracção de segundos.

De forma muito clara, apresento-vos 5 perguntas e 5 respostas que acredito vos vão deixar esclarecidos sobre este assunto.

 

1. O que é o coaching?

Trata-se de um processo que produz mudanças positivas e duradouras. O Coaching permite tirar um indivíduo do seu estado actual e levá-lo ao estado desejado. O processo de Coaching permite a clarificação dos pontos fortes individuais levando ao aumento da autoconfiança e à quebrar de barreiras e limitações, para que as pessoas possam conhecer e atingir o seu máximo potencial, alcançar as suas metas de forma objectiva e assertiva, atingindo um estado de maior realização e felicidade.

2.  Porque é que funciona?

O coaching funciona porque através dele o coachee passa por um processo de tomada de consciência do potencial que tem em si, de tal forma intensa e poderosa que se torna claro que o único caminho a seguir é o do sucesso. Se pensarmos na nossa vida como um filme, nós somos o realizador e nós decidimos e escolhemos o rumo da nossa história.

3. Quem precisa de um coach?

Qualquer pessoa que se sinta insatisfeita com alguma área da sua vida, que queira melhorar alguma coisa ou alcançar algum objectivo. Ou até para qualquer pessoa que sinta que precisa de novos objectivos na vida ou de se oferecer um novo rumo e não saiba qual.

4. Como se processa uma sessão de coaching?

Sabendo do potencial ilimitado em todos nós, durante o processo de coaching, o coach dá ao cliente a oportunidade de ganhar consciência do seu potencial ilimitado e de o levar à superação e a tornar-se melhor em qualquer coisa a que se queira dedicar, a atingir objectivos que o realizem e a ser mais feliz.

No início de uma sessão de coaching, que é confidencial, o cliente (coachee) define um objectivo para a sessão. Pode ser, por exemplo: “descobrir quais são os seus talentos”, “qual é a profissão ideal para si”, “criar uma estratégia para lidar de forma mais harmoniosa com alguém”, “ criar um plano de acção para melhorar o seu negócio”, “criar um plano de acção para ter uma vida mais feliz”, etc. Pode ser qualquer coisas desde que o coachee considere que é importante e que está disposto a agir no sentido de alcançar o objectivo.

Depois de definido o objectivo o coach vai fazendo perguntas que estimulam o coachee e despertam nele todo o seu potencial, o inspiram e o levam a encontrar as respostas mais adequadas a si e ás suas circunstâncias que o levam na direcção que deseja e na realização do objectivo definido. O coach em nenhum momento dá respostas, indica caminhos ou influencia o coachee. Se o fizer estará a desviar-se do código de conduta ética da profissão.

No final de uma sessão bem sucedida, o coachee tem um plano de acção traçado para iniciar o caminho em direcção ao seu objectivo, sai consciente do seu potencial ilimitado e sente-se verdadeiramente comprometido consigo próprio e com o plano que traçou, mal podendo esperar para o por em acção.

5. O que são todos os nichos e ramificações do coaching de que se ouve falar?

No Coaching existem dois grandes nichos principais, o Self Coaching – voltado para atender necessidades pessoais e o Executive Coaching ou Business Coaching – voltado a atender necessidades corporativas e empresariais.

Dentro destes dois nichos começaram a surgir uma série de ramificações. Por exemplo, dentro do coaching pessoal surgiram  o coaching familiar, coaching de relacionamentos, coaching financeiro, coaching de emagrecimento, coaching desportivo entre outros. Na área executiva ou de negócios temos por exemplo o coaching de liderança, coaching de comunicação, coaching de performance, coaching corporativo.

Todas estas “especializações” surgiram por uma questão de contexto.

Se o coachee é um administrador de uma empresa que procura um coach porque quer melhorar por exemplo as suas competências como líder, podemos chamar-lhe coaching de liderança. No entanto, esse líder pode ser casado e ter família e sente uma grande pressão para conseguir conjugar o seu trabalho exigente com o tempo em família e porque não tem tido tempo para fazer exercício ou para se alimentar como dever ser, tem uma barriguita proeminente que o anda a incomodar e lhe traz alguma insegurança.  Numa situação destas, todos estes assuntos podem ser objectivo de uma sessão de coaching até porque o coachee pode chegar à conclusão que umas situações estão relacionada com outras.

Faz sentido separar o Self Coaching do Executive ou Business Coaching por causa das terminologias usadas no mundo empresarial que é necessário que o coach conheça para que a comunicação entre o coach e o coachee seja clara. As ramificações dentro que cada um destes nichos esbatem-se, porque a metodologia do coaching é apenas uma e o trabalho do coach é o mesmo seja qual for a ramificação na qual se inclui uma determinada sessão.

Espero ter-vos esclarecido. Qualquer dúvida ou questão, cá estarei.

Beijinhos e abraços, CAMPEÕES 😉

Para marcação de sessões de coaching: coachmariajoaoviegas@gmail.com

 

Anúncios