A VACA QUE SUBIU A UMA ÁRVORE

1540-1

Para terminar o ano e entrar em 2017 a SONHAR GRANDE e com a crença de que todos nós temos o potencial necessário para realizar os nossos sonhos, deixo-vos como sugestão um livro inspirador.

As ilustrações são lindíssimas e a história, aparentemente simples, pode ser uma lição de vida. A Tina é uma vaca que pensa fora da caixa e que é muito decidida e sonhadora, ao contrário das suas irmãs que são muito terra a terra. A Tina adora explorar e descobrir coisas novas e para ela nenhum sonho é disparatado.  Será que ela vai conseguir convencer as irmãs de que a vida pode ser muito mais do que ruminar erva?

Um livro profundo e divertido que faz as delícias do Francisco e as minhas também 😉

Surpreende e dá que pensar 😉

Recomendo para todos a partir dos 4 anos

 

Texto e ilustração de Gemma Merino.

Editora: Livros Horizonte

img_20161229_110552img_20161229_110622img_20161229_110638

Sonho do Pai Natal

http://www.fabulasecontos.com/sonho-do-pai-natal/

 

O Pai Natal sonhou um sonho lindo, tão lindo que não queria acordar. E não queria acordar porque neste ano os Humanos encheram-se de boa vontade e fizeram um acordo de Paz, que silenciou todas as armas. Em todos os cantos do planeta, mesmo nos lugares mais recônditos da Terra, as armas calaram-se para sempre e os carros de combate e outras máquinas de guerra foram entregues às crianças para neles pintarem flores brancas de paz.

O Pai Natal sonhou um sonho lindo, tão lindo que não queria acordar. E não queria acordar porque nesse sonho não havia fome: em todas as casas havia comida, havia até algumas guloseimas para dar aos mais pequenos. Mesmo as crianças de países outrora pobres tinham agora os olhos brilhantes, brilhantes de felicidade. Todas as crianças tinham acabado de tomar um esplêndido pequeno-almoço e preparavam-se para ir para a escola, onde todos aprendiam a difícil tarefa de crescer e ser Homem ou Mulher.

O Pai Natal sonhou um sonho lindo, tão lindo que não queria acordar. E no seu sonho não havia barracas, com água a escorrer pelas paredes e ratos pelo chão, nem gente sem tecto, a dormir ao relento. No sonho do Pai Natal, todos tinham uma casa, um aconchego, para se protegerem do frio e da noite.

O Pai Natal sonhou um sonho lindo, tão lindo que não queria acordar. E no seu sonho não havia instituições para acolher crianças maltratadas e abandonadas pelos pais nem pequeninos e pequeninas à espera de um carinho, de um beijo… de AMOR. Todas as crianças tinham uma família: uma mãe ou um pai ou ambos os pais, todas as crianças tinham um colo à sua espera.

O Pai Natal sonhou um sonho lindo, tão lindo que não queria acordar. E no seu sonho não havia palavrões e outras palavras feias, não havia empurrões, má educação e desentendimentos. Toda a gente se cumprimentava com um sorriso nos lábios. Nas estradas, os automobilistas não circulavam com excesso de velocidade, cumpriam as regras de trânsito e não barafustavam uns com os outros.

O Pai Natal sonhou um sonho lindo, tão lindo que não queria acordar. E no seu sonho não havia animais abandonados pelos seus donos, deixados ao frio, à fome e à chuva,  nem animais espetados e mortos nas arenas, com pessoas a aplaudir.

Mas, afinal, quando despertou verdadeiramente, o Pai Natal viu que tudo não tinha passado de um sonho; que pouco do que sonhara acontecia de verdade. Ficou triste, muito triste, e pensou:

« – Afinal, ainda é preciso que, pelo menos uma vez por ano, se celebre o Natal!».

E, nessa noite, o Pai Natal começou os preparativos para dar, mais uma vez, um pouco de alegria a todas as crianças do Mundo.

Conto adaptado por Vaz Nunes – Ovar
“Diário de Aveiro”, de 2000/12/07

O Muito Grande Pequeno Polegar – uma sugestão de não leitura para crianças

img_20161213_152526

Comprei este livro para mim.

É um clássico e é lindo de morrer pelas ilustrações e pelos delicados rendilhados que as acompanham e é horrível pela dureza da história.

img_20161210_141109

Não se conhece a origem desta história, sabe-se apenas que Charles Perrault a recontou e é esse o texto apresentado nesta edição da Edicare.

Tenho para mim que o Sr. Perrault gostava de assustar criancinhas :D. Pais que abandonam os filhos; maridos que batem nas esposas; pais que abandonam novamente os filhos; pais que degolam as filhas ainda que por engano; bolas, bolas, bolas!

Todos sabemos que as histórias para crianças, eram antigamente muito mais duras e cruas do que hoje. Há quem diga que é importante para as crianças serem confrontadas com histórias tristes e duras e não discordo, desde que depois seja feito o trabalho de as ouvir e responder com muito carinho a todas as perguntas que elas façam sobre o que leram. Mas esta história vai, na minha opinião, além do razoável.

Comprem se, como eu, são apreciadores ou coleccionadores. É uma edição muito muito bonita de um clássico.

Não comprem para oferecer a crianças.

unnamed

Boas leituras 😉

OS ANIMAIS ESTAVAM ZANGADOS

t_productimage_27040

 

Este é um dos meus livros preferidos de sempre. Quem acha que os livros ilustrados são só para as crianças está tão enganado! Nós adultos temos tanto a aprender com os livros “ditos” para crianças. Não é que nos tragam algo de realmente novo. Geralmente não dizem nada que nós não soubéssemos já, mas nesta azáfama que é ser adulto, esquecemo-nos muitas vezes de coisas simples que ao recordarmos tornam as nossas vidas muito mais bonitas, com sentido e cheias de afetos. Este livro tem essa magia.

Num dia de muito calor na selva, sem terem nada para fazer, os animais começam a implicar uns com os outros, a apontarem os seus defeitos e a dizerem que se odeiam. Parece estar prestes a iniciar-se uma grande zaragata mas de repente uma pomba desce do céu e tudo muda.

Começando uma conversa sobre esta história com os miúdos temos assunto que dá pano para mangas.

Em contexto escolar, pode dar uma riquíssima aula de filosofia para crianças.

Recomendo para todos com mais de 4 anos

 

Escrito e ilustrado por William Wondriska

Editora: Orfeu Negro

 

 

LOBO GRANDE & LOBO PEQUENO

1540-6

O Lobo Grande vive no alto da colina, sozinho, debaixo de uma árvore. Um dia chega o Lobo Pequeno e instala-se sem pedir licença. Agora são dois lobos de baixo da árvore. Será que o Lobo Grande aceita facilmente o Lobo pequeno?

Quando li este livro ao Francisco pela primeira vez estava grávida do Manuel. As hormonas estavam malucas e desfiz-me em lágrimas de tanto que me emocionei. Isto porque para mim, o Lobo Grande era o Francisco e o Lobo Pequeno era o Manuel. Já depois da chegada do nosso lobo pequenino o próprio Francisco fez esta associação. É um livro óptimo para ler e conversar sobre a chegada de um irmão mais novo, porque não é explicito mas diz tudo, de uma forma muito doce e tranquila. Acredito que ajuda a aquietar o coração do mano grande.

Um livro belíssimo, comovente e poético.

Recomendo para maiores de 3 anos

Olivier Tallec escreveu e Nadine Brun-Cosme ilustrou

Editora: Livros Horizonte

 

O LOBO MAU E OS 3 PORQUINHOS

by MARIA CONTAROLANTE

Num exercício de escrita criativa, foi-me sugerido pelo David Machado que reescrevesse a história dos 3 porquinhos, mas do ponto de vista do Lobo Mau. Aceitei o desafio e assim, deixo-vos aqui a minha versão deste clássico. As ilustrações foram um devaneio meu porque não queria deixar o lobo sem rosto e este post sem cor. 🙂 Espero que gostem ;).

12

3

4

5

6

7

8

9

10

11

Vitória, vitória, acabou-se a história! 😀