A VIAGEM e EU E O MEU MEDO

A Viagem

Um livro belíssimo sobre um tema difícil.

A autora decidiu criar esta história depois de ter conhecido duas raparigas num campo de refugiados em Itália. Segundo a autora, “Quase todos os dias ouvimos nas notícias as palavras “migrantes” e refugiados”, mas raramente se fala das viagens pessoais que eles tiveram de fazer”

Um dia a guerra chegou e a vida de uma família, como tantas outras, muda para sempre. A história é narrada por uma das filhas que conta como seu mundo mergulha no caos e tudo fica negro quando a guerra lhe leva o pai. A mãe e as duas crianças partem numa longa viagem em busca de um lugar onde nunca mais terão medo. Fogem na calada da noite para não serem vistos e durante muitos dias não param,  atravessando  colinas e florestas, fronteiras e mares tempestuosos em busca de um novo lar.

É difícil segurar as lágrimas ao ler este livro com os meus filhos. Se não conhecem, procurem conhecer  e por favor expliquem aos vossos filhos que nem todos têm um lugar seguro para viver e que isso é inadmissível.

Na contra capa do livro há uma citação da Amnistia Internacional onde se lê: “Apoiamos este livro porque ele nos recorda que todos temos direito à vida, à segurança e a ter uma casa.”

Eu e o Meu Medo

A menina é a mesma do livro A Viagem e está agora a começar uma nova vida, finalmente num lugar seguro. Neste livro a autora lembra-nos que para os refugiados, a jornada, não termina quando encontram um novo lar.

Precisamos de um mundo com mais amor e mais empatia e o mundo está nas mãos dos nossos filhos.  Façamos então a nossa parte e coloquemos boas sementes nos seus corações. Este livro dá uma boa ajuda.

Numa nova cidade, a menina está a tentar adaptar-se à sua nova vida cheia de gente desconhecida que ela não entende e não a entende a ela, numa escola nova e num bairro estranho.

“Eu sempre tive um segredo: um amigo pequenino chamado Medo. O Medo sempre tomou conta de mim e me protegeu… Mas, desde que viemos para este país, o Medo deixou de ser assim tão pequenino. E todos os dias cresce mais um bocadinho.”

Num lugar novo, o Medo tornou-se enorme e recusa-se a arredar pé, impedindo-a de se dar a conhecer, de fazer amigos e de descobrir o novo mundo que a rodeia.

Eu e Meu Medo é uma história doce e gentil que nos mostra que podemos encontrar amizade e conforto quando partilhamos os nossos medos.

Lida fora do contexto do livro anterior a história continua a fazer todo o sentido e é ótima para falar sobre os medos que todos nós temos e que tantas vezes preocupam os nossos valentes pequenos leitores.

Anúncios

ELEIÇÃO DOS BICHOS

No dia em que descobriram que o Leão desviou água do rio para construir a sua piscina privada os bichos ficaram muito zangados. Indignados com tal abuso, decidiram que estava na hora de escolher um novo governante e para isso convocaram eleições.

Assim se põe a criançada a aprender o que é uma eleição, para que serve e quais as regras para eleger o vencedor. As conversas sobre o assunto não terão fim e serão uma oportunidade fantástica para mostrar aos miúdos como é importante, enquanto cidadãos, envolvermo-nos e participarmos nas eleições dos nossos governantes.

Este livro, vindo de Brasil, é resultado de um trabalho coletivo criado a muitas mãos. Foram realizadas oficinas com crianças onde incorporaram os animais da floresta e nas quais se organizou uma eleição. Esses divertidos e sumarentos encontros foram a inspiração para este livro.

A história é muito divertida e as ilustrações perfeitas. Cá em casa, este livro é um sucesso. Vale mesmo a pena acrescentar este à vossa biblioteca. 😉

Regresso a Casa

A primeira palavra que me ocorre para descrever este livro, chegado a Portugal pela mão da Orfeu Negro, é ACONCHEGANTE.

A mãe coelha e o seu bebé, tornados humanos nas belíssimas ilustrações,  regressam a casa ao anoitecer. O pequeno coelho vai no colinho da mãe, cansado de um dia de muita brincadeira. As ruas estão vazias e a cidade prepara-se para dormir.

Pelo caminho, janelas iluminadas mostram outras vidas. O coelhinho vai encantado pelo que vê, ouve e cheira enquanto passa diante de cada janela aberta. O restaurante e a livraria estão a fechar, ouve alguém a falar ao telefone, uma tarte cheirosa sai do forno, alguém descansa frente à televisão e na janela ao lado há uma festa. O pai coelho junta-se a eles no caminho.  

As ilustrações a carvão em papel texturado com uma paleta principalmente monocromática mas com laivos de cores suaves tornam este livro reconfortante, lindíssimo e perfeito para trazer a noite até aos pequenos leitores. São absolutamente magníficas! No momento em que, já em casa, o pai põe o pequenote na cama, o peso do sono, o calor do cobertor e o leve ar noturno são tão deliciosamente palpáveis que os pequenos leitores só terão vontade de se aconchegar nas suas caminhas e dormir um soninho descansado. É uma delícia, MESMO!

Já na cama, o pequeno coelho ainda vai pensado o que estarão as pessoas que viu pelo caminho a fazer naquele momento. A festa já terá terminado, a televisão foi apagada, alguém se prepara para ir para a cama ou toma um banho relaxante para esticar as pernas, há quem adormeça a ler um livro, quem ainda vá comer a tarte e alguém que sai para apanhar o último comboio de regresso a uma cidade distante.

“É uma noite como qualquer outra, uma noite especial. Quando acaba, descansamos. Boa noite.”

Recomendo para maiores de 3 anos.

CRICTOR

Faleceu a semana passada o genial Tomi Ungerer, autor de vários livros infantis maravilhosos. Já vos falei no Allumette, aqui. Gosto muito de todos os livros dele. Distinguem-se pela ironia e um  humor espirituoso que me enche as medidas. Hoje falo-vos do CRICTOR e nas próximas semanas virão outros, especiais para mim.

Era uma vez, numa pequena cidade francesa, uma senhora velhinha, Madame Boudot, que recebe de presente, do filho que estuda répteis em África, uma cobra.

Ao abrir aquela estranha caixa em forma de O que lhe chega pela mão do carteiro, a simpática senhora solta um grito. Que susto! Depois de confirmar no Zoo que a pequena cobra é inofensiva, a Madame Bodot adota CRICTOR como seu animal de estimação.

Com uma enormíssima dose de originalidade e um grande sentido de humor, o autor  humaniza e descontextualiza a dócil jiboia dando forma a muitas situações caricatas e divertidas.  A Madame Bodot alimenta CRICTOR a biberão enquanto bebé, leva-a a passear pela cidade, bebem refresco juntas na esplanada de um café, leva-a para a escola onde leciona e CRICTOR brinca com as crianças e até aprende a desenhar as letras e os número. No inverno a jibóia usa, para se proteger do frio, uma camisola de malha bem comprida que a querida senhora tricotou.  

A jibóia, perante uma situação de perigo para a sua dona, revela-se astuta e capaz de atos de grande coragem e a partir desse momento torna-se uma heroína, adorada por toda a cidade.

As ilustrações a traço fino, salpicadas de suaves tons verdes e encarnados, são riquíssimas em detalhes surpreendentes.

Gosto muito deste livro e as crianças divertem-se imenso com as situações inusitadas vividas por CRICTOR. Lá em casa apaixonaram-se e querem uma cobra de estimação na família. 🙂

Recomendo para maiores de 6 anos.

Sugestões de Natal by Helena Antão

A Helena é professora de Português e conheci-a há uns anos quando desempenhava funções de professora bibliotecária num escola onde trabalhei. Foi uma grande inspiração para mim. Foi a melhor, mais empenhada, mais apaixonada e mais querida professora bibliotecária com que me cruzei.

É apaixonada pela leitura e contagia os seus alunos e até os pais. Dinamizou projetos como”Dois Dedos de Leitura”, “Biblioteca Sem Sono: a que sabem estas histórias?, “Biblioteca Fora d’Horas”, “STOP: Leio 25 minutos”. Coordenou entre 2009 e 2013 as bibliotecas do Agrupamento de Campelos, integrando-o no Projeto Escolas Aler+ e criou o blogue “Cair no Mundo das Letras”. Entre 2013 e 2017 coordenou as bibliotecas da Escola Básica Integrada de Colares.

Neste Natal, os livros que gostava de ver no sapatinho da criançada são os seguintes:

Obrigada querida Helena, por aceitares este desafio e por me inspirares sempre a ser e fazer mais e melhor 😉 Beijinhos

Sugestões de Natal by Sofia Correia

A Sofia Correia é a livreira maravilhosa da Livraria Faz de Conto, em Coimbra.

As sugestões que nos traz foram escolhidas tendo como princípio o movimento que criou em 2017, Storytelling for World Peace. São histórias que promovem a paz, a tolerância e a liberdade.

Storytelling for World Peace é um movimento pela paz, inspirado no Dia Internacional da Paz, criado em 1981 pela Assembleia Geral das Nações Unidas. Este projeto não precisa de tecnologia altamente avançada, apenas a vontade de contar uma história sobre paz, tolerância, direitos humanos ou outro tema relacionado com eles (temos uma lista de histórias ou livros para escolher). Contar histórias pode desenvolver a compreensão para outras culturas e promover uma atitude positiva em relação a pessoas de diferentes terras ou tradições.

Aqui estão as sugestões da Sofia:

Obrigada querida Sofia 😉

SUGESTÕES DE NATAL by turma de 2018/2019 da Pós-Graduação em Livro Infantil na Universidade Católica

Como alguns saberão, este ano estou de volta à Faculdade. Estou a fazer uma Pós-Graduação em Livro Infantil. Como não poderia deixar de ser, toda a turma é apaixonada por livros para gente pequena. Aceitaram o desafio e fizeram algumas sugestões de livros que consideram mesmo especiais. Aqui estão eles:

Obrigada Mariana, Joana, Margarida, Susana P, Alexandra, Rafaela, Sónia, Susana F e Ana Cláudia 🙂 Beijinhos